domingo, 15 de abril de 2012

Cuba - abril de 2012 (parte1)




Cuba deve ser o país latino americano mais parecido com o Brasil, culturalmente falando. Para começar, eles comem feijão com arroz e vêem novelas brasileiras. 

Historicamente é muito diferente, e isso até dificulta nosso entendimento sobre a realidade cubana.
Eles realmente lutaram pela independência do país (José Marti) e depois com a Revolução que derrubou Fulgêncio Batista enquanto no Brasil a independência e a república foram conveniências históricas.

Fiquei 4 dias em Havana e mais 4 em Cayo Largo e voltei querendo (precisando mesmo) estudar mais sobre a história do país.Antes de viajar tinha pesquisado um pouco na internet e comprado um guia da lonely planet sobre o Caribe, mas ainda tinha muita coisa que eu não sabia como seria.
Para começar, para viajar para Cuba é preciso um seguro saúde. Eu viajei com o do cartão de crédito - comprando passagens com a maioria dos cartões, vc tem direito a um seguro saúde no valor de 30.000 dólares ou euros, dependendo do país.
Também é necessário um visto, que nada mais é que um papelzinho que vc pode comprar na própria companhia aérea, na hora do check in. Paguei 37 reais. Na saída tem mais uma taxa de 25 CUCs. 
Na chegada, a imigração foi super tranquila. Eu perguntei se eles carimbam o passaporte e disseram que só se o turista pedir. No meu caso, pedi para não carimbarem, falei que depois iria aos EUA e não queria problemas e foi tranquilo. Eles ficam com uma via do visto na entrada e pegam a outra na saída. 
Não passamos pela aduana, só recebemos o formulário da imigração.
A retirada das malas foi tranquila tb. Já tinha lido histórias de que eles abriam as malas, roubavam coisas, etc, etc, mas não tivemos nenhum problema. Mas um detalhe que reparamos foi que levam muita, mas muita bagagem de mão. A impressão que deu foi que quando os cubanos conseguem viajar p fora aproveitam para comprar muita coisa... não disse que eram parecidos com os brasileiros?
Existem duas moedas: a moneda nacional, usada pelos cubanos, e o CUC (pesos convertibles), usada pelos turistas. É melhor levar euros, porque para trocar dólares há uma taxa de 10%. Na época em que fui, a cotação estava 1 euro = 1,26 CUC.

Chegamos à noite, ficamos numa casa particular no bairro de Vedado, que eu super indico. Reservei por esse site: http://www.la-superabuela.com/ Ficamos no apartamento da Miriam, na verdade um quarto com banheiro. A casa é enorme, muito bonita, de 1939. O pagamento é feito lá. Existem vários outros sites com milhares de casas. 



Na manhã seguinte tomamos café na casa mesmo, 5 CUC por pessoa (omelete, pão, café com leite, suco, pão doce).

Nenhum comentário:

Postar um comentário