sexta-feira, 25 de maio de 2012

Cuba - abril de 2012 - parte 2 - Havana








Essa é uma das minhas fotos preferidas, porque mostra a realidade...

Ao mesmo tempo que vemos prédios lindos e bem conservados, como na Plaza Vieja (abaixo)...



também vemos prédios praticamente desmoronando


acho que em termos de arquitetura, Havana desbanca fácil qualquer outra cidade da América Latina, mas é triste ver que a cidade não foi conservada.

Há pobreza, sim. Mas miséria, não. Acho que não existem moradores de rua, como no Brasil, pelo menos nós não vimos. 

Mas há sim desigualdade de classes. É claro que em 5 dias não dá para entender como uma sociedade tão sui generis é estruturada...

Queria conversar com o máximo de moradores locais para entender como realmente são as coisas em Havana, mas acabei conseguindo conversar mesmo apenas com 3. 
Uma jovem cubana, de uns 25-30 anos, que contou que era fisioterapeuta e ganhava 28 CUCs por mês e tinha 2 filhos para sustentar.
Um senhor de 67 anos, que trabalhava em alguma coisa relacionada à radiodifusão, para o governo.
E um homem de uns 30-35 anos que era guia no Museu do Rum, do Havana Club.
Primeiro detalhe marcante é que todos começam a falar da mesma maneira: "yo soy fidelista, mas..." Ficamos na dúvida se eles realmente são fidelistas com suas ressalvas, ou se começam o discurso assim para evitar qualquer problema com o governo.
Outra coisa que me surpreendeu é que a imprensa, pelo menos aqui no Brasil, sempre mostrou que com a saída do Fidel e a entrada do Raul no comando, o governo cubano tinha passado a ser mais flexível. Eles me contaram que foi bem o contrário. 
Que o Raul tem "mãos de ferro" e quer dizer exatamente o que o povo tem que fazer. Que se as políticas sociais melhoraram é porque o partido pressionou muito. E que eles gostavam do Fidel porque, apesar de tudo, ele é uma figura imponente, o mundo todo sabe quem é Fidel Castro. E não só isso, mas a própria figura física dele, um homem de mais de 1,90m e com enorme carisma, se destacava em reuniões internacionais, o povo cubano se sentia representado por ele. E com Raul isso não acontece.
Eles conhecem um pouco da política do Brasil, sabem quem é o Lula, quem é a Dilma, perguntam e querem entender mais da nossa realidade também.
O que me chocou um pouco foi quando o guia do museu do rum me perguntou se no Brasil tudo também pertencia ao governo. Eu havia perguntado se todos os hotéis lá eram do governo e ele ter dito que a maioria, ou então uma rede estrangeira, como a Meliá espanhola, construía e podia explorar conjuntamente com o governo por 10 anos e depois o empreendimento passava para o governo.





Capitólio, igual ao de Washington D.C. 



Gran Teatro Havana


Essa foto para mim representa uma metáfora do que é Cuba hoje: um pequeno país, isolado do mundo, olhando o que acontece ao redor e com receio do próprio futuro.








Museu de Artes Universais





meu autêntico chapéu Panamá, comprado no Panamá, mas fabricado no Equador (isso mesmo, porque os autênticos chapéus panamá são equatorianos)





A esquina do daiquiri, o drink mais refrescante. 


A Bodeguita del Medio (foto lá em cima) e El Floridita são os dois bares mais populares de Havana. Ficaram famosos por causa da frase de Ernest Hemingway: "mi mojitos en la Bodeguita, mi daiquiri en El Floridita".
A Bodeguita del Medio foi um pouco decepcionante: o lugar, em especial o bar, é minúsculo. Na parte de trás tem o restaurante, a comida é muito boas e os preços bem razoáveis (para turistas). 
A Floridita é um verdadeiro portal! Fui lá com minha amiga no primeiro dia em que estávamos em Havana. Era de tarde, umas 15 ou 16h, e como estávamos passando em frente, decidimos chegar e já dar um check num dos locais em que tínhamos-que-ir. Passando pela porta, vc se sente transportado. Hahahahaha. Primeiro que está escuro e com muito cheiro de tabaco, porque lá pode fumar. E fumar charuto. E tem música e todo mundo está bebendo como se fosse alta madrugada...hahahaha Pedimos daiquiris, claro! É simplesmente a melhor coisa que já bebi na vida! É feito com rum, suco de limão, marasquino (licor de cereja) e gelo, tudo batido no liquidificador. O diferencial do daiquiri da Floridita para os outros que tomamos em Cuba é que lá eles fazem com o Havana Club três anos, o dourado. 





o por-do-sol no Malecón, o lazer mais democrático de Havana.





Não podia faltar um carro antigo e muito bem conservado! Apesar da placa de táxi, esses carros mais bonitos fazem passeios de uma hora e cobram entre 40-60 CUCs (o que eu achei bem caro)


(...continua)

domingo, 20 de maio de 2012

Traveler Photo Contest

Amigos, estou participando do concurso de fotografia da revista Traveler, do grupo National Geographic, com a foto abaixo. Se vcs gostarem, compartilhem!

Dear friends, I'm participating in the 2012 Traveler Photo Contest, with the following image. If you like, share!



http://travel.nationalgeographic.com/travel/traveler-magazine/photo-contest/2012/entries/131419/view/


domingo, 15 de abril de 2012

Cuba - abril de 2012 (parte1)




Cuba deve ser o país latino americano mais parecido com o Brasil, culturalmente falando. Para começar, eles comem feijão com arroz e vêem novelas brasileiras. 

Historicamente é muito diferente, e isso até dificulta nosso entendimento sobre a realidade cubana.
Eles realmente lutaram pela independência do país (José Marti) e depois com a Revolução que derrubou Fulgêncio Batista enquanto no Brasil a independência e a república foram conveniências históricas.

Fiquei 4 dias em Havana e mais 4 em Cayo Largo e voltei querendo (precisando mesmo) estudar mais sobre a história do país.Antes de viajar tinha pesquisado um pouco na internet e comprado um guia da lonely planet sobre o Caribe, mas ainda tinha muita coisa que eu não sabia como seria.
Para começar, para viajar para Cuba é preciso um seguro saúde. Eu viajei com o do cartão de crédito - comprando passagens com a maioria dos cartões, vc tem direito a um seguro saúde no valor de 30.000 dólares ou euros, dependendo do país.
Também é necessário um visto, que nada mais é que um papelzinho que vc pode comprar na própria companhia aérea, na hora do check in. Paguei 37 reais. Na saída tem mais uma taxa de 25 CUCs. 
Na chegada, a imigração foi super tranquila. Eu perguntei se eles carimbam o passaporte e disseram que só se o turista pedir. No meu caso, pedi para não carimbarem, falei que depois iria aos EUA e não queria problemas e foi tranquilo. Eles ficam com uma via do visto na entrada e pegam a outra na saída. 
Não passamos pela aduana, só recebemos o formulário da imigração.
A retirada das malas foi tranquila tb. Já tinha lido histórias de que eles abriam as malas, roubavam coisas, etc, etc, mas não tivemos nenhum problema. Mas um detalhe que reparamos foi que levam muita, mas muita bagagem de mão. A impressão que deu foi que quando os cubanos conseguem viajar p fora aproveitam para comprar muita coisa... não disse que eram parecidos com os brasileiros?
Existem duas moedas: a moneda nacional, usada pelos cubanos, e o CUC (pesos convertibles), usada pelos turistas. É melhor levar euros, porque para trocar dólares há uma taxa de 10%. Na época em que fui, a cotação estava 1 euro = 1,26 CUC.

Chegamos à noite, ficamos numa casa particular no bairro de Vedado, que eu super indico. Reservei por esse site: http://www.la-superabuela.com/ Ficamos no apartamento da Miriam, na verdade um quarto com banheiro. A casa é enorme, muito bonita, de 1939. O pagamento é feito lá. Existem vários outros sites com milhares de casas. 



Na manhã seguinte tomamos café na casa mesmo, 5 CUC por pessoa (omelete, pão, café com leite, suco, pão doce).

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Uno solo conserva lo que no amarra...


GUITARRA Y VOS
Que viva la ciencia,
Que viva la poesia!
Que viva siento mi lengua
Cuando tu lengua está sobre la lengua mía!
El agua esta en el barro,
El barro en el ladrillo,
El ladrillo está en la pared
Y en la pared tu fotografia.
Es cierto que no hay arte sin emoción,
Y que no hay precisión sin artesania.
Como tampoco hay guitarras sin tecnología.
Tecnología del nylon para las primas,
Tecnología del metal para el clavijero.
La prensa, la gubia y el barniz:
Las herramientas de un carpintero.
El cantautor y su computadora,
El pastor y su afeitadora,
El despertador que ya está anunciando la aurora,
Y en el telescopio se demora la última estrella.
La maquina la hace el hombre...
Y es lo que el hombre hace con ella.
El arado, la rueda, el molino,
La mesa en que apoyo el vaso de vino,
Las curvas de la montaña rusa,
La semicorchea y hasta la semifusa,
El té, los ordenadores y los espejos,
Los lentes para ver de cerca y de lejos,
La cucha del perro, la mantequilla,
La yerba, el mate y la bombilla.
Estás conmigo,
Estamos cantando a la sombra de nuestra parra.
Una canción que dice que uno sólo conserva lo que no amarra.
Y sin tenerte, te tengo a vos y tengo a mi guitarra.
Hay tantas cosas
Yo sólo preciso dos:
Mi guitarra y vos
Mi guitarra y vos.
Hay cines,
Hay trenes,
Hay cacerolas,
Hay fórmulas hasta para describir la espiral de una caracola,
Hay más: hay tráfico,
Créditos,
Cláusulas,
Salas vip,
Hay cápsulas hipnóticas y tomografias computarizadas,
Hay condiciones para la constitución de una sociedad limitada,
Hay biberones y hay obúses,
Hay tabúes,
Hay besos,
Hay hambre y hay sobrepeso,
Hay curas de sueño y tisanas,
Hay drogas de diseño y perros adictos a las drogas en las aduanas.
Hay manos capaces de fabricar herramientas
Con las que se hacen máquinas para hacer ordenadores
Que a su vez diseñan máquinas que hacen herramientas
Para que las use la mano.
Hay escritas infinitas palabras:
Zen, gol, bang, rap, Dios, fin...
Hay tantas cosas
Yo sólo preciso dos:
Mi guitarra y vos
Mi guitarra y vos.
(Essa música linda, essa poesia, é do uruguaio Jorge Drexler. Talvez vc lembre dele, que teve uma canção indicada ao Oscar (Al otro lado del rio - Diarios de Motocicleta) e não foi convidado para apresentá-la. No lugar dele, colocaram o Antonio Banderas, atitude muito feia da Academia. Drexler acabou levando o oscar e cantarolou a canção na hora dos agradecimentos.)
Viajar não é só tirar fotos na frente de monumentos famosos. 
Viajar não é só fazer citytour em ônibus turístico.
Viajar é pedir licença e entrar na cultura de um outro povo, de um outro país. 
Viajar é ficar maravilhado com grãos de areia, com céu estrelado, com os locais fazendo picnic na praça. Com arte feita há mais de 2 mil anos, ou há 500 anos, ou ontem!
Viajar é abrir a mente para infinitas possibilidades ( o para infinitas palabras).
Viajar é sair da rotina, é correr o risco de conhecer pessoas incríveis, lugares inesquecíveis e nunca mais voltar a encontrá-los.
Para viajar, mais do que planejamento, é preciso ter a fé e a confiança, de que seja o que for que aconteça, tudo VAI dar certo no final. Você pode gastar seu dinheiro, seus sapatos, até a sola dos seus pés. Se você abrir a cabeça e o coração, nunca mais será o mesmo depois de uma viagem. Aprenderá a ter mais respeito pelas diferenças, verá que o certo e o errado, os tabus, são muitas vezes apenas pontos de vista.
Por que viajar? Porque a vida é um dom. Não se enterra um dom, se desfruta.
POLVO DE ESTRELLAS
"¿Que hay en una estrella? Nosotros mismos.
Todos los elementos de nuestro cuerpo y del planeta
estuvieron en las entrañas de una estrella.
Somos polvo de estrellas."
ERNESTO CARDENAL, "Cántico Cósmico"

Vale
Una vida lo que un sol
Una vida lo que un sol
Vale
Se aprende en la cuna,
se aprende en la cama,
se aprende en la puerta de un hospital.
Se aprende de golpe,
se aprende de a poco y a veces se aprende recién al final
Toda la gloria es nada
Toda vida es sagrada
Una estrellita de nada
en la periferia
de una galaxia menor.
Una, entre tantos millones
y un grano de polvo girando a su alrededor
No dejaremos huella,
sólo polvo de estrellas.

Vale
Una vida lo que un sol
Una vida lo que un sol
Vale

Se aprende en la escuela,
se olvida en la guerra,
un hijo te vuelve a enseñar.
Está en el espejo,
está en las trincheras, parece que nadie parece notar
Toda victoria es nada
Toda vida es sagrada
Un enjambre de moléculas
puestas de acuerdo
de forma provisional.
Un animal prodigioso
con la delirante obsesión de querer perdurar
No dejaremos huella,
sólo polvo de estrellas.


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Rio de Janeiro - Reveillon e Carnaval

Olá! Não sei se vocês repararam, mas esse blog se chama "viajar é viver"e seu lema/slogan é "e relembrar é reviver"porque ele foi criado com o intuito de lembrar as viagens que eu fiz. 
Então, como não fiz nenhuma viagem super legal no último mês, vou fazer um geral nas viagens antigas, aleatoriamente...
Vou começar por algumas viagens que eu fiz para o Rio de Janeiro.

Parece cartão postal, mas fui eu quem tirou!!! Pão de Açúcar visto do Botafogo Praia Shopping

Eu devo ter ido umas 10x pro Rio, mais ou menos, porque desde 2007 tinha uma irmã morando lá, o que facilita bastante as coisas.
Assim, não tenho como citar/avaliar opções de hospedagem. 

Passei 2 carnavais e 3 reveillons no Rio. Eu sei que é clichê, mas acredite, há motivos para ser tão mundialmente conhecido. Quer saber, eu até ia escrever sobre outros lugares, mas vamos focar nisso: CARNAVAIS E REVEILLONS (parece um bom tema!)

Começando do começo:

De acordo com os registros fotográficos, a primeira vez que fui pro Rio foi para o Reveillon de 2008: 

as gringas! Reveillon de 2008

Passamos a virada em Copacabana. Minha irmã da direita comprou os cartões do metrô antecipadamente, para irmos e voltarmos. É o jeito de ir e voltar, barato, seguro e o único que realmente funciona. 

Engraçado que nesse primeiro ano não tirei uma foto boa dos fogos! 

em 2009, em Copacabana de novo, choveu, mas e daí? =)

Essa foto é só para mostrar a super tacinha de camelô!!! 

Fogos em Copacabana, 2009

Em 2010 fomos numa festa na Urca... não lembro de muita coisa, mas pelo jeito foi animada! =D Agora, lá é um péssimo lugar para ver os fogos...tipo, não dá para ver nada mesmo...

Em 2008 e 2009 eu fui para o Carnaval: 


a carater é mais divertido!!!


A festa é maravilhosa!!!! E olha que eu nem era muito fã de Carnaval... mas quando o desfile começa...SENSACIONAL!!! E se vc já viu alguma vez pela tv, esquece!!! eu não sei como, mas a Globo consegue transformar uma festa animadíssima em algo muito muito chato!


Em 2008 só fui assistir aos desfiles em um dia, no domingo. No ano seguinte, fomos no domingo e na segunda. Não lembro quais eram as escolas, nem quem ganhou naquele ano. Mas foi showwww!!! 

Para comprar os ingressos, procure o site da LIESA, que é a Liga Independente das Escolas de Samba. Pelo que me lembro funciona mais ou menos assim: em um determinado dia, eles disponibilizam os ingressos para venda exclusiva por telefone. Aí vc em que ligar um milhão e meio de vezes, até conseguir completar a ligação. Qdo vc finalmente consegue, vc diz qtos ingressos e para qual dia (qdo eu comprei era limitado a 6 ingressos por CPF e um CPF por ligação) eles te passam um código, vc faz o pagamento, eles confirmam o pagamento e os ingressos são retirados na rua da alfândega, no Rio. Acontece que, nem todas as pessoas que reservam os ingressos pagam por eles, ou podem reservar 6 e só pagar 4, por exemplo. Aí, os que não foram pagos serão disponibilizados novamente, em uma nova data e assim vai até que tudo seja vendido. 

Antes de ligar para comprar é bom ver o mapa do sambódromo, para escolher os lugares. As duas vezes que eu fui, fiquei no setor 4, que tem um bom custo-benefício. Um ponto alto desse setor é que dá para ver o recuo da bateria. Quem entende um pouquinho dos desfiles ou já viu pela tv, deve ter uma noção do que isso quer dizer... os outros terão que confiar em mim!

Os setores 1, 6 e 13 são os mais baratos, acho que eles chamam de arquibancadas populares, mas o 1 é ainda na concentração, antes do desfile em si começar e o 6 e o 13 já são na dispersão. 


:::IMPORTANTE::: 
Procure um mapa atualizado do sambódromo, porque houve uma reforma e sei que mudou mas não sei como ficou, provavelmente os setores foram renumerados, mas minhas observações continuam válidas!


Outras dicas genéricas e gerais:


Restaurantes: entre as milhares de opções, vou citar 2:


Nam Thai: comida tailandesa! Não é barato, mas é uma experiência! Fica no Leblon, Rua Rainha Guilhermina. 


Delírio Tropical: saladas incrementadas e comidas saudáveis. Gostava de ir para a praia de manhã, entre os postos 9 e 11 e na hora do almoço, qdo o sol tava mto escaldante, saía para o almoço.

Maceió e Maragogi 2008

Eis mais um post que eu ia esperar forever pela hora de terminar... então, vai sair assim mesmo.

Eis Maragogi e Maceió e viva a história de que uma imagem vale mais que mil palavras.

Se alguma praia do nordeste tem um mar que se aproxima do do caribe, é maragogi. Maceió tb chega perto. =)



Maragogi/AL Hotel Miramar


Maceió - Vista do Jatiúca


Pajuçara - Maceió


Wanchako - melhor restaurante peruano ever!!! peça o pisco sour!


passeio de barco por 1.345 ilhas...meio chato


gunga!!! tem q ir!


mais uma do gunga!



mais uma de maragogi


e outra p terminar

sábado, 14 de janeiro de 2012

Buenos Aires


Buenos Aires, de 5 de novembro a 10 de novembro de 2011.


Museo Nacional de Bellas Artes e os jacarandás floridos na primavera!

Cheguei bem cedo e como a aeroporto tava supermuvucado achei melhor contratar o táxi antes de desembarcar... foi um absurdo de caro (acho q foi uns 160 pesos). 
Fiquei hospedada na Recoleta, um dos lugares que não deu tempo de conhecer na minha primeira viagem a Buenos Aires. E a escolha do bairro foi perfeita! Meu hotel era bem em frente ao Cemitério, que é um dos lugares que tem-q-ir em BsAs. 

Cemitério

ainda no Cemitério

E a vista do hotel: para o Cemitério...mas juro que não é mórbido como parece!


Cheguei e fui logo almoçar. Comi num dos vários restaurantes que tem em frente ao cemitério. Falando assim parece meio mórbido, mas não é nenhum pouquinho. Os restaurantes são ótimos, com as mesinhas na calçadas, um clima super agradável. Pedi uma parrilla (¡por supuesto!). Nessa área também tem 2 cafés havanna, com seus maravilhosos cafés e alfajores. Tem Freddo também.
Fui visitar a Floralis Genérica e o Museu Nacional de Bellas Artes. E ainda dei uma passadinha no Pátio Bullrich. 



Floralis Genérica



À noite fui no Freddo para comprar um lanchinho light, comprei um wrap vegetariano e me ferrei de verde e amarelo! Passei mega-master-blaster mal e fiquei de cama nos dois dias seguintes. Não fui no hospital porque não tinha contratado seguro-saúde, porque já viu né? Buenos Aires é logo ali, não vai acontecer nada...aham, vai nessa. E também não caio mais nessa de “vou só comer uma coisinha leve”. Formei uma convicção de que o que quase sempre me faz passar mal são as verduras cruas e com certeza mal lavadas por quem prepara os lanches. Tanto que na Alemanha em 2011 teve um mega surto da superbactéria nas verduras e legumes (*para mais informações, consulte o Google!).
Então, mesmo depois que eu melhorei um pouco, ainda tava superdebilitada, bem fraca mesmo, e não tinha nem vontade nem forças de ficar zanzando pela cidade. Mas, para não desperdiçar totalmente o dinheiro gasto, acabei indo passear em Palermo (SoHo e Hollywood, eu acho), fui nas Galerias Pacífico (achei que estava tudo bem caro) e na Calle Florida. 
Também fui no Teatro Colón, que eu ainda não conhecia. Fiz a visita guiada e recomendo! É lindo, o guia foi bem simpático e explicativo. Fiquei com vontade de ver uma ópera lá, porque segundo o guia, é a melhor acústica DO MUNDO (as 3 fotos abaixo são do Teatro Colón).





De lá fui andando até a Ponte da Mulher, em Puerto Madero. Pena que não pude aproveitar os restaurantes.




Fui até a Casa Rosada e a Catedral.  


Como era primavera, os jacarandás estavam floridos e a cidade estava super linda!!!


No fim das contas, dado meu elevado estado de ‘lesera’, combinado com os fatos de que algumas coisas eu já conhecia e que Buenos Aires é lugar próximo e fácil de ir, acabei fazendo uma viagem superlight. 
Lições aprendidas nessa viagem: 
  1. Comprar bilhetes início-fim com a mesma cia aérea. 
  2. Não comer vegetais crus que não sei a procedência.
  3. Aproveite cada dia e cada momento porque você não sabe o que pode acontecer no momento seguinte (pode chover, ter uma manifestação em frente ao monumento que você ia fotografar, você pode passar mal, o dólar pode subir...)
  4. Relaxa! Você está de férias e se prefere ficar no hotel descansando a bater perna, fique! Nada pior do que se sentir obrigado a fazer coisas nas férias!!! 

Chile - Santiago, Valparaíso e Viña del Mar

Chile: de 30 de outubro a 5 de novembro de 2011




Eu tinha comprado de Brasília-Buenos Aires (ida e volta, pela GOL). Só que sei que por algum motivo eu recebi um email da Gol mudando meu itinerário. Acabei prolongado minha viagem e comprei mais o trecho Buenos Aires-Santiago (ida e volta, pela Lan). 
Então, eu a ideia era ir de Brasília dia 28/10 (voando GOL), rumo a Guarulhos para fazer conexão para Buenos Aires. E no dia seguinte ir para Santiago. 
Só que a gol é superdesorganizada (para dizer o mínimo). E o meu voo que ia sair de Guarulhos às 20h, atrasou e ia sair só às 21h30. Ia. Porque com esse atraso, quando o avião fosse chegar em  Ezeiza, o aeroporto ia estar fechado (nesse período estavam fechando o aeroporto à noite para reformas na pista - ou pelo menos essa foi a informação da cia aérea).
E o próximo voo que ia para Ezeiza só chegaria lá às 11h do dia seguinte e meu voo da Lan para Santiago sairia às 10h. Ferrou. 
Então, depois de muito tempo em filas diversas, pegando mala, andando pelo aeroporto e conversando com as atendentes, minha melhor opção passou a ser ir direto com a Gol para Santiago, no voo noturno do dia seguinte. Com isso, tomei um no-show no meu voo da Lan (que não era reembolsável! Mas consegui o reembolso das taxas) e tive que comprar mais um trecho Santiago-Buenos Aires, e aí comprei com a Gol mesmo, por R$196,00, incluindo as taxas.
Sei que com isso perdi 1 dia de férias e diminui em 2 dias minha estadia no Chile (porque meu voo da Lan sairia de tarde e o da Gol saiu de manhã). 
Mas com isso aprendi uma lição, que eu já devia ter aprendido antes: evitar comprar voos de cias aéreas diferentes.


Dia 30/10, domingo: 
















Bom, saí de Guarulhos às 20h do sábado e cheguei no Chile domingo 1h da manhã. Troquei 100 dólares no aeroporto e saquei mais 100.000 pesos. Mas a cotação no aeroporto é das piores.
Peguei um táxi. Tem a opção de transfer que parece ser boa. Fiquei em um flat no bairro de Providência que eu super indico (tanto o bairro como o flat). O flat chama FRONTERA APART HOTEL. Eu reservei pelo booking.com, mas dá para reservar direto com eles e tentar conseguir um descontinho. 

Tem uma estação do metrô bem perto de onde eu estava (estação Pedro de Valdívia). O metrô é ótimo (novo, limpo, rápido, barato). Fiz o bip! card, que é o cartão do metrô, custa 1.200 pesos e vc pode recarregar com quanto quiser. Eu coloquei 3.800 pesos, para dar 5.000 redondo

Ah detalhe, no Chile é feriado dias 31 de outubro e 01 de novembro. Eu cheguei no domingo dia 30, ou seja, bem no feriadão. A cidade tava supervazia. Foi bom porque deu para ver a diferença entre a cidade vazia e a cidade na correria do dia a dia. 
No primeiro dia peguei o metrô e fui pra o centro histórico.

Como era domingo, e bem no meio do feriado, foi bem difícil achar algum lugar para comer. Acabei indo num shopping e comendo no Burguer King.
Detalhe: eles adoram colocar palta (abacate) em tudo! Vi sushi com palta, pizza com palta, e até os sanduíche do BK e do Starbucks com palta! E, honestamente, não tem gosto de nada!

Whopper italiano - tudo que se chamar italiano leva abacate (palta). E por que 'italiano'? Por causa das cores da bandeira da Itália (abstração forte aqui!)


Palacio de la Moneda - sede do governo chileno e 'guardinhas' se achando...


Estátua de Salvador Allende


Exemplo de arquitetura do Centro Histórico

Catedral


Ex-Congresso Nacional


Museo Pré-Colombino

No fim da tarde, quando peguei o metrô para voltar para o apartamento, estava cheio de torcedores de futebol, fazendo AQUELA bagunça. Eu e todo mundo que estava na estação ficamos meio tensos, porque não eram uns 5 ou 10... eram grupos de 30, que chegavam um atrás do outro, gritando e aparentemente festejando. Provavelmente eram inofensivos e só queriam comemorar mesmo, mas sabe como é... no meio da massa as pessoas perdem a noção... então o negócio é ficar na sua e se misturar com moradores locais.

Dia 31/10, segunda-feira: Segundo dia, como a cidade tava bem vazia achei melhor fazer um passeio estilo hop on hop off do que explorar a cidade por conta. Fiz com a empresa Turistik (www.turistik.cl). É um passeio ótimo para conhecer a cidade. 
Eu peguei o ônibus em Providência, aí ele foi para Las Condes (que é um bairro superchique e centro financeiro da cidade). E depois ruma para o Shopping Parque Arauco (tudibom!)
Eu nem ia descer no shopping, mas ele é tão maravilhoso que eu não resisti...heheheh
Tem muitas, muitas lojas e uma praça de alimentação (boulevard) fantástico, com vista para as montanhas. Acabei comprando coisas da Kiehl’s e o fantástico Morroccanoil (comprei o óleo e a máscara hidratante, no Intersalon).
Depois, peguei o ônibus e fiz o restante do passeio sem descer. 


Dia 01/1, terça-feira: Comprei um passeio para o Andes, à tarde. De manhã, fui no Patio Bellavista, andei até o Cerro San Cristóbal (mas tava bem nublado, então deixei para subir depois) e a Casa de Neruda, só que lá a visita é só com horário marcado e dura 45 min, aí já afetava meu passeio da tarde, então acabei deixando para voltar depois também.







Bairro Bella Vista


Patio Bella Vista




Almocei no Patio Bellavista, na La Casa en el Aire. Lugar super gracinha. Comi umas empanaditas de salmão divinas! Ah, o Chile é O lugar para comer salmão e tomar vinhos!

La Casa en el Aire - restaurante dentro do Patio BellaVista com comida boa por preço amigo

À tarde, Andes! E vale muito a pena subir, mesmo que não seja inverno e as estações de esqui estejam fechadas. Eu particularmente acho que tudo fica lindo quando é primavera e a Cordilheira fica muito linda mesmo! Com várias florzinhas amarelinhas, que mostram que as montanhas estão cheias de vida! O passeio é um pouco mareante, porque é caminho de montanha, com 42 curvas, então se tiver um dramin a mão, manda ver. 

Andes! 

Dia 02/11, quarta-feira: Não é feriado no Chile (diferente do Brasil). De manhã fui no Cerro Santa Lúcia - dica: não vá de sapato liso! #vaipormim.

Enquanto eu tava lá, chegou uma excursão de uma escola e sabe como as crianças são curiosas... de cara viram que eu não era chilena (os chilenos são todos muitos parecidos, cabelo bem preto, liso, pele clara, não é como brasileiro que tem de todo tipo!) e vieram falar comigo. Perguntaram de onde eu era e quando eu disse que era brasileira eles não acreditaram...perguntaram como se eu era "tan blanquita"... aí tive que explicar que no Br tem gente de todo tipo... (nada ver mas acabei de lembrar que qdo eu estava na escola eu odiava quando a professora ensinava que A Moreninha era considerado o primeiro romance tipicamente brasileiro, por causa das características da mocinha da história...porque eu sempre pensava eu sou loira, de olhos claro e sou brasileira...p#rra! enfim...voltando...)


Cerro Santa Lucia

Almocei no Mercado Central, no Donde Augusto (salmão, salmão, salmão!!!) ... 

Donde Augusto - restaurante no mercado central

... e à tarde fui na Concha y Toro (também com a Turistik, mas dá para ir de metrô+taxi ou metrô+ônibus). O lugar é lindo, mas o passeio é meio fraco. Achei que eles iam mostrar o processo, história e tals, mas neca! Degustamos apenas 1 vinho branco e um tinto (ambos Casillero del Diablo, que você acha fácil até nos mercados do Brasil).

Concha y Toro
Dia 03/11, quinta-feira: Dia de ir conhecer Valparaíso e Viña del Mar! Inicialmente eu ia ficar duas noites em VIña, mas como minha estadia no Chile acabou sendo reduzida em dois dias, por causa de toda a confusão dos voos da Gol, achei melhor cortar fora a estadia em Viña e ir apenas conhecer. 






As 3 fotos acima são de Valparaíso e as 3 abaixo de Viña del Mar






essa foto é só porque eu AMO essa placa! hahhahah

Dia 04/11, sexta-feira: Casa do Neruda, Cerro San Cristóbal, Centro Artesanal Los Dominicos e shopping Alto las Condes (onde tinha uma promoção noturna que super valeu a pena).


Casa de Pablo Neruda em Santiago. 

Ele tinha mais duas casas no Chile, uma em Valparaíso e outra em Isla Negra. As três funcionam como museus, abertas à visitação. Fiz a visita guiada, que custa 2.500 pesos e dura cerca de 40 minutos. Bom, começando do começo. Neruda é conhecido pelas obras literárias, mas além de escritor, ele foi diplomata, candidato a senador e até embaixador do Chile. Essa casa de Santiago foi construída para Matilde, seu grande amor. Eles se conheceram em Capri, Itália. Ela era cantora de ópera. Foram amantes durante dois anos, até que ele se separou da 2a. mulher e ficou definitivamente com Matilde. Para ela, ele criou o símbolo abaixo (janela da esquerda), em que o P é de Pablo, a lua, e o M é de Matilde, as montanhas e o mar como o amor que os unia. Ai ai! (Nessa hora todas as mulheres do grupo suspiraram... uma delas, a única que estava com o marido, disse: "ah, amores assim não existem mais" e o guia falou "si, hay, pero hay que buscarlo"...e mais suspiros da mulherada! 

 A figura a direita é o sol, mas também Matilde e seus cabelos encaracolados. Aliás, é daí que vem o nome da casa: La Chascona, referência aos cabelos de Matilde. 




 Vista do Cerro San Cristóbal

Imagem de Imaculada Conceição, no alto do Cerro

Obs finais: 
Todos os passeios da Turistik passam no Parque Arauco na ida e na volta. E eles também oferecem transfer grátis do Centro e dos principais hotéis para o shopping (ida e volta), só precisa reservar. Tem kioskis da Turistik no Parque Arauco, no Mercado Central e no Patio Bellavista, além dos carinhas que ficam vendendo os bilhetes pro hop-on/hop-off em todas as paradas deste.